quinta-feira, 5 de julho de 2012


 PLACA FIXADA JUNTO AO TRIBUNAL JUDICIAL DE VILA NOVA DE FOZ CÔA



(Ditribuido por todo o Concelho de Vila Nova de Foz Côa)




MEMBROS ELEITOS PARA A COMISSÃO POLÍTICA CONCELHIA
EM 2 DE JUNHO DE 2012

Fernando Monteiro Girão - Presidente
Nuno Alexandre P Rodrigues Saldanha
Emílio António Pessoa Mesquita
Ana Maria Almeida Pires
António Sotero Moutinho Ferreira
António Januário Bezelga Lobão
Maria de Jesus Beselga Pais
Carlos Alberto Correia
Maria Isaura Marçal Paixão Moutinho
Paulo Sérgio Cancela Fortuna
Joaquim Maria Madeira Félix
Jorge Augusto Maximino
Gil Manuel Monteiro Gonçalves Costa
Maria Orquídea Trovisco Pires Castro
Regina Maria Reis Sequeira P de Oliveira
Carlos José Martins Sobral
Ricardo Manuel da Silva Branquinho
Nuno Miguel Moutinho Chéu
Maria Adelaide Fonseca Freixeiro
Luís Fernando Nevado Garrido
Bruno José Navarro Marçal


MEMBROS ELEITOS PARA O SECRETARIADO DA COMISSÃO POLÍTICA CONCELHIA
EM 22 DE JUNHO 2012

Fernando Monteiro Girão – Coordenador
Ana Maria Almeida Pires
António Januário Bezelga Lobão
Carlos Alberto Correia
Maria Isaura Marçal Paixão Moutinho
Joaquim Maria Madeira Félix
Gil Manuel Monteiro Gonçalves Costa
Carlos José Martins Sobral
Nuno Miguel Moutinho Chéu



quarta-feira, 23 de maio de 2012

CONVOCATÓRIA ELEIÇÕES PARA A COMISSÃO POLÍTICA CONCELHIA
Ao abrigo do art.º 39º dos Estatutos do Partido Socialista e do art.º 7º do Regulamento das Eleições para as Comissões Políticas Concelhias (mandato 2012/2014), convocam-se todos os militantes do Partido Socialista de VILA NOVA DE FOZ CÔA para a Assembleia-geral de Militantes, a realizar no próximo dia 02, de Junho de 2012, das 17 horas às 23 horas, na SEDE DO PS FOZ CÔA, sita na RUA MAJOR CALDEIRA, N.º 9 – VILA NOVA DE FOZ CÔA, com a seguinte Ordem de Trabalhos:
• Eleição da Comissão Política Concelhia

VILA NOVA DE FOZ CÔA, 15 de Maio de 2012

Presidente da Concelhia
 _________________________________
(Vítor Daniel Carvalho Magalhães)

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Comunicado n.1

Car@s Fozcoenses,
O Partido Socialista de Vila Nova de Foz Côa soube aceitar com espírito democrático a derrota eleitoral de 2009. Cabendo-lhe, desde esse momento, a tarefa de ser oposição, não enveredou pelo caminho fácil do insulto gratuito, da maledicência desonesta e dos ataques pessoais. Não procurou lançar campanhas de ódio na nossa população. Não se escondeu por detrás do anonimato cobarde para poder lançar os boatos e mentiras mais rasteiras e indignas.
Diferentes que fomos na governação deste Concelho, orgulhamo-nos da diferença que temos marcado nestes dois anos de oposição. A nossa actuação política, feita às claras, com total transparência e lealdade, tem-se pautado pela seriedade, responsabilidade e elevação, movendo-nos hoje, como no passado, o desígnio de lutarmos por um concelho mais desenvolvido, mais próspero e solidário.
O actual Executivo Municipal do Partido Social Democrata (PSD) iniciou agora o terceiro ano do seu mandato. Chegou o momento de partilharmos com toda a população o balanço que fazemos destes dois últimos anos. Dois anos que serviram para confirmarmos tudo aquilo que já sabíamos e esperávamos. O actual executivo municipal resulta de um capricho pessoal do seu Presidente e da sua ambição desmedida pelo poder. A vaidade, a presunção e a arrogância são a sua imagem de marca e a única razão da sua existência. O seu lema tem sido sempre: “eu quero, posso e mando”.
Durante dois anos limitaram-se a propagandear auditorias financeiras e processos judiciais. Acusaram o anterior Executivo de má gestão, espalhando por toda a parte o boato de que a Câmara estava falida. Até hoje nada resultou desses famosos processos e auditorias e, como que por milagre, a Câmara Municipal apresenta resultados positivos, continuando a constar nas listas das autarquias com melhor saúde financeira.
Incapazes de lançarem qualquer tipo de projecto, digno de registo, apropriaram-se descaradamente dos projectos que herdaram, procurando, em desespero, recolher os louros do trabalho alheio. Mas na maior parte dos casos não conseguiram sequer ser bons executores, como fica provado pela forma desastrosa e atabalhoada em que têm decorrido, por exemplo, as obras da regeneração urbana, prejudicando o comércio da cidade e incomodando todos os munícipes em geral.
A sua impreparação e incompetência obrigam a que, em todas as outras áreas de intervenção, se limitem a copiar, de forma ridícula, tudo aquilo que foi feito no passado e que tanto criticaram enquanto foram oposição.

Há contudo um mérito que temos que lhes reconhecer. É que ninguém como eles conseguiria utilizar a Câmara Municipal para satisfação de interesses pessoais e partidários. Não existe qualquer espécie de vergonha na forma como se pagam favores políticos. Não sentem o mais pequeno embaraço em favorecer as famílias amigas, com recrutamentos, transferências, promoções e nomeações que são uma ofensa para a grande maioria dos Fozcoenses, que vivem do seu esforço e vencem pelo mérito, mas que insultam sobretudo aqueles que procuram uma oportunidade que os liberte do desemprego, ou que os livre da emigração.
Foz Côa regressou ao tempo das jogadas secretas de poder, ao tempo do despotismo de uma minoria que sempre se julgou com direito a mandar na vida de toda a população. A mentira continua a ser a arma predilecta. Valores e princípios éticos são conceitos desconhecidos. Até quando estaremos dispostos a aguentar passivamente este estado de coisas? Até quando aceitaremos ser colocados de parte na definição do nosso futuro?
O Partido Socialista é a verdadeira alternativa de poder neste Concelho. Queremos ser a voz de todos os que não se revêem naquela forma de estar na política. Contamos com todos na construção de um projecto mobilizador, voltado para o futuro, capaz de responder aos anseios e necessidades dos nossos conterrâneos. Um projecto feito por pessoas, pelas pessoas e para as pessoas. Um projecto verdadeiramente concelhio, que aposte na coesão do nosso território e das nossas gentes, numa resistência heróica contra a desertificação demográfica e contra a degradação da vida política.
É tempo de dizer BASTA!
Para nós, as pessoas estão primeiro!!!

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

BRUNO NAVARRO DISTINGUIDO NA ASSEMBLEIA DA REPUBLICA

Nota de Imprensa - 24 de Outubro de 2011*

Bruno J. Navarro, investigador, mestre em História Contemporânea e deputado à Assembleia Municipal de Vila Nova de Foz Côa, acaba de receber o prémio "O Parlamento e a República", atribuído pela Assembleia da República, no âmbito das comemorações do Centenário da República, à sua obra /Governo de Pimenta de Castro. Um General no Labirinto da I República/.
Na passada Quinta-Feira, dia 19 de Outubro, o autor, participou, ao lado de Assunção Esteves, Presidente da Assembleia da República, e de um conjunto de deputados e investigadores universitários, numa tertúlia realizada no histórico café lisboeta Martinho da Arcada, onde se analisou o ambiente sócio-político daquele regime republicano, interrompido em 1926, pelo golpe militar de 28 de Maio. Na ocasião, a Presidente da Assembleia da República, manifestando a sua satisfação pela forma como decorreu aquele encontro, anunciou a sua intenção de criar um projeto de tertúlias em cafés que aproximem os cidadãos aos deputados, aproximando assim "o Parlamento da vida real" em "tempos de incerteza".
No dia seguinte, decorreram, na Assembleia da República, as cerimónias oficiais de encerramento das comemorações que, além da realização de uma sessão plenária do parlamento, com intervenções de todos os grupos parlamentares, ficaram marcadas pela entrega à Assembleia da República da partitura do Hino Nacional, feita por Artur Santos Silva, o Presidente da Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República; pela inauguração, nos Passos Perdidos, da exposição "A Assembleia Constituinte e a Constituição de 1911", de que foi comissário o professor de Direito Constitucional Jorge Miranda; pelo lançamento, na Sala da Biblioteca, da reedição da Constituição de 1911, anotada pelo professor de Direito Constitucional Gomes Canotilho; pelo lançamento da obra "Da virtude e fortuna da República ao republicanismo pós-nacional", apresentada pelo bispo do Porto, D. Manuel Clemente; e pela atribuição do diploma do referido prémio a Bruno Navarro.
O júri do prémio, constituído pelos professores catedráticos António Reis (Universidade Nova de Lisboa), José Barata-Moura (Universidade de Lisboa) e João Carlos Espada (Universidade Católica de Lisboa), destacou a relevância daquele trabalho de investigação para a história política parlamentar, sublinhando o seu elevado rigor científico, o seu carácter inovador, o uso adequado da bibliografia disponível e a "qualidade da exposição, que revela clareza e fluidez narrativa".
A obra, que já fora distinguida pela Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República, no âmbito do Programa de Edição de Teses e Dissertações "República e Academia" e pelo Prémio de História Contemporânea -- Dr. Victor de Sá, atribuído pelo Conselho Cultural da Universidade do Minho, encontra-se neste momento em fase final de edição, com a chancela editorial da Assembleia da República, prevendo-se o seu lançamento oficial para as últimas semanas de Dezembro.
É, assim, com grande satisfação que a Concelhia do Partido Socialista de Foz Côa manifesta ao autor Bruno J. Navarro, militante desta concelhia e membro da Assembleia Municipal de Vila Nova de Foz Côa, as maiores felicitações e manifesta publicamente a sua satisfação por poder contar com o Bruno Navarro na sua militância e na sua dedicação ao PS local.

segunda-feira, 18 de julho de 2011

ELEIÇÕES INTERNAS PARTIDO SOCIALISTA


Caros camaradas,

No próximo sábado, 23 de Julho, realizam-se as eleições para o Secretário Geral do PS e as eleições para Delegados da Concelhia de Foz Côa para o Congresso que se realizará a 9, 10 e 11 de Setembro. A votação decorre das 17h ás 21h, na sede do partido.

Para Secretário Geral, há duas candidaturas: A - António José Seguro e B - Francisco Assis. Para delegados, só se apresentou uma lista na Concelhia de Foz Côa, e afecta á moção do camarada António José Seguro, que é encabeçada pelo camarada Emilio Mesquita, seguindo-se na lista o camarada António Sotero. (Lista em anexo)

A existência de uma só lista, denota bem a união que verifica nesta concelhia e a força que o PS de Foz Côa se apresenta para enfrentar os desafios eleitorais que aí vêm. Foz Côa não pode esperar mais, um PS forte faz falta a Foz Côa e só com o PS este Concelho vai em frente. Já há cidadãos deste concelho a dizer que Foz Côa "morreu", caros amigos, contra este sentimento, contra a ausencia de trabalho, contra este adormecimento, vamos á luta e vamos contribuir para o crescimento deste concelho. Foz Côa merece mais! Mais e melhor para o Concelho.

Apelo desde já a todos os camaradas para votarem, vamos dar força ao nosso partido.

Informo desde já, que só podem votar os militantes com a quota do 1º semestre de 2011 paga.

Para pagamento de quotas, via multibanco:
Pagamento de serviços

Entidade: 20132
Refª: 0000xxxxx(00000 e nº de militante até perfazer 9 digitos)
valor: €€€

terça-feira, 1 de março de 2011

REPORTAGEM DA UNIVERSIDADE NOVOS DESAFIOS- 27 FEVEREIRO 2011 MUSEU DO CÔA

Foi com grande satisfação que no passado domingo, 27 Fevereiro, podemos assistir á Universidade Novos Desafios, que irá percorrer o Distrito da Guarda com diferentes acções em cada Concelho. Nada melhor do que Foz Côa e o Museu do Côa para o arranque desta actividade que se reverte de grande importância para junto da sociedade civil se discutirem as diferentes temáticas que deve conter uma governação. Estamos atentos, estamos no terreno, é junto das pessoas que gostamos de estar, de ouvir e de trabalhar. A acção em Foz Côa superou todas as expectativas, quer pela qualidade dos oradores, quer pela adesão das muitas pessoas que quiseram dizer presente e que muito contribuiram para o bom desenrolar dos trabalhos. Foz Côa está de parabéns, mas também os muitos camaradas de outros Concelhos que estiveram presentes merecem o nosso aplauso.

UNIDOS SOMOS MAIS FORTES.
FORÇA PORTUGAL.
FOZ CÔA VAI EM FRENTE!

video